Formação de Noite e Dia em Mitos do Quirguistão

Formação de Noite e Dia em Mitos do Quirguistão

Formação de Noite e Dia em Mitos do Quirguistão

Noite e dia se sucedem há cerca de 4,5 bilhões de anos. Isso era muito mais importante para nossos ancestrais sem tecnologia, sem dúvida. Porque os seres humanos organizaram quase todo o seu trabalho diário de acordo com a posição do Sol no céu. No tempo restante, tentaram explicar os fenômenos naturais que não conseguiam entender. Com o tempo, isso levou à formação de muitas lendas sobre eventos naturais, como a formação da noite e do dia.

Noite e Dia nas Sociedades Antigas

Uma das consequências mais importantes da rotação da Terra em torno de seu eixo é a formação do dia e da noite. No entanto, nas sociedades antigas, essa formação foi interpretada de acordo com a mentalidade coletiva do período.

As sociedades antigas geralmente lidavam com a formação da noite e do dia de forma alegórica. As pessoas transferiram as crenças da sociedade para as próximas gerações. E essas crenças se tornaram parte da mitologia ao longo do tempo.

Muitas civilizações antigas como a japonesa, asteca e egípcia contribuíram para a derivação de mitos sobre a formação da noite e do dia. Um desses mitos interessantes está na mitologia do Quirguistão.

Noite e Dia no Tengrismo Quirguiz

De acordo com a antiga crença do Tengrismo Quirguistão, há um pássaro gigante no céu com uma asa azul e a outra preta. A formação da noite e do dia depende do movimento das asas desta ave. Quando o pássaro move sua asa negra, torna-se noite. E quando o pássaro move sua asa azul, torna-se dia.

Algumas comunidades também retrataram o pássaro em questão como uma águia segurando o Sol com a garra direita e a Lua com a garra esquerda.

As águias têm características arcaicas, totêmicas e animistas tanto nos mitos altaicos quanto nos contos quirguizes.

Pensa-se que o pássaro lendário conhecido como Bürküt ou Merküt e Öksökö nas mitologias turcas e altai e o pássaro do céu em questão são os mesmos seres.1

Ave Lendária: Bürküt – Merküt

Algumas comunidades turcas na Ásia Central chamam as grandes águias de “bürküt”. No entanto, na mitologia turca, Bürküt ou Merküt também é o nome próprio de um enorme pássaro que cobre o Sol com a asa direita e a Lua com a asa esquerda. A cabeça do pássaro está voltada para o norte. Como mencionado acima, este pássaro às vezes é retratado segurando o Sol e a Lua em suas garras. O fato de a cabeça do pássaro estar voltada para o norte é resultado do Sol simbolizando o dia e o leste, enquanto a Lua simboliza a noite e o oeste. No entanto, existem opiniões diferentes entre os turcologistas e folcloristas.

Em uma oração do xamã de Altai citada por Wilhelm Radloff, que é considerado o fundador da Turkologia, esse pássaro é retratado como uma águia com garras de cobre.2

Este pássaro lendário, que foi deificado como Bürküt Ata3 em algumas comunidades de origem Altai, se transformou em uma chuva iye* no Turcomenistão e seus arredores.4

İye: Uma espécie de espírito protetor na mitologia turca.

Öksökö

Bürküt ou Merküt é conhecido como Öksökö na República de Sakha. As comunidades de origem turca de lá retratavam essa ave como uma águia com cabeça dupla e garras de cobre. Como İnan cita, o fim do inverno depende do bater das asas desta águia.5

Como você pode ver, mesmo nos mitos turcos no nordeste da Ásia, o nome dessa águia é mencionado como um poder sobrenatural para explicar um fenômeno periódico, semelhante à formação da noite e do dia. Isso mostra que a lenda do pássaro do céu se espalhou por uma ampla geografia nas comunidades turcas.


  1. “Türk Mitolojisi Cilt II”, Bahaeddin ÖGEL, ISBN: 9789751628572^
  2. “Aus Sibirien”, Wilhelm RADLOFF, ISBN: 9783846024003^
  3. Türk Söylence Sözlüğü“, Deniz KARAKURT^
  4. Türkmenistan’da Bir Yağmur İyesi: Burkut Ata“, Ahmet GÖKÇİMEN, Bilig, Sayı: 52, 2010^
  5. “Tarihte Ve Bugün Şamanizm”, Abdülkadir İNAN, Altınordu Yayınları, ISBN: 6057702357^