Novos geoglifos descobertos no Peru representando figuras felinas e antropomórficas

Novos geoglifos descobertos no Peru representando figuras felinas e antropomórficas

Arqueólogos descobriram recentemente novos geoglifos na província de Nasca, localizada no sul do Peru, apresentando representações de figuras felinas e antropomórficas.

A descoberta foi conduzida por uma equipe de pesquisa da Universidade Nacional San Luis Gonzaga (Universidad Nacional San Luis Gonzaga). Liderada pelo professor Bendezú de la Cruz, a equipe é composta por um arqueólogo e 20 alunos.

A equipe de pesquisa que conduziu pesquisas com drones nos distritos de El Ingenio e Changuillo, na província de Nasca, utilizou software especializado para analisar as imagens, revelando um total de 29 novos geoglifos. Os pesquisadores enfatizaram o significado potencial desta descoberta para a arqueologia peruana.

Novos geoglifos descobertos no Peru representando figuras felinas e antropomórficas
Foto: Genry Bautista

Vinte dos geoglifos foram descobertos em El Ingenio, enquanto nove foram encontrados em Changuillo. Estes geoglifos, com representações de figuras felinas e antropomórficas, revelam também a diversidade simbólica presente na região.

 El IngenioChanguillo
Geoglifos felinos108
Geoglifos antropomórficos101
Os dados numéricos relativos aos geoglifos encontrados em El Ingenio e Changuillo.

O professor Bendezú de la Cruz afirmou que o maior geoglifo entre eles mede aproximadamente 42 metros (137 pés) de comprimento e representa uma figura felina. Além disso, ele observou que o gato tinha um significado significativo para as comunidades antigas daquela época, sugerindo que poderia ter sido reverenciado como uma divindade ou ter tido uma importância simbólica especial naquela época.

Os geoglifos, estimados como tendo sido criados entre 300 aC e 100 dC, estão associados à cultura Paracas tardia e à cultura Nasca primitiva.

Novos geoglifos descobertos no Peru representando figuras felinas e antropomórficas
Foto: Genry Bautista

Culturas Paracas e Nasca

As culturas Paracas e Nasca representam duas civilizações distintas, mas interligadas, que prosperaram no antigo Peru, situado ao longo do sopé da Cordilheira dos Andes. Estas culturas têm um significado crítico na compreensão da rica e intrincada história da região. A cultura Paracas existiu entre 800 aC e 200 aC, enquanto a cultura Nasca prosperou de 100 aC a 700 dC.

A cultura Paracas estava situada na região sul do atual Peru, abrangendo a Península de Paracas e a região de Ica. Esta cultura é particularmente conhecida pela sua arte têxtil. A riqueza das cores empregadas nos tecidos, os desenhos intrincados e os motivos geométricos mostraram o domínio da arte têxtil na cultura Paracas. Além disso, o simbolismo felino era um tema recorrente na arte de Paracas.

A cultura Paracas evoluiu gradualmente para a cultura Nasca ao longo do tempo. Com o declínio da cultura Paracas, a cultura Nasca começou a ascender. Este período de transição trouxe mudanças sociais, económicas e culturais na região. Embora mantendo traços da cultura Paracas, a cultura Nasca também desenvolveu características e características próprias e únicas.

A cultura Nasca é conhecida por sua arte em cerâmica e geoglifos colossais. A formação e o propósito destas linhas não foram completamente decifrados, mas geralmente acredita-se que estejam associadas a rituais religiosos ou astronômicos.

A sociedade Nasca também é conhecida pelos seus sistemas de irrigação subterrânea. Estas complexas redes de canais, desenvolvidas para redirecionar a água dos rios para os campos agrícolas, permitiram ao povo Nasca praticar a agricultura em condições desérticas.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments