Estilo de vida caçador-coletor nos tempos pré-históricos

Estilo de vida caçador-coletor nos tempos pré-históricos

O estilo de vida caçador-coletor, um modo proeminente de subsistência durante os tempos pré-históricos, representa um antigo sistema socioeconômico praticado pelas populações humanas antes do advento da agricultura e das civilizações sedentárias. Enraizado nos princípios de coleta e aquisição de recursos, esse modo de existência implicava um estilo de vida descentralizado e nômade caracterizado pela dependência de atividades de caça, pesca e coleta para sustentar o sustento essencial e atender às diversas necessidades de pequenos grupos baseados em parentes.1

O que é caçador-coletor?

“Caçador-coletor” é um termo usado para descrever uma estratégia de subsistência e modo de vida adotado pelas sociedades humanas em tempos pré-históricos. Envolve a coleta de recursos vegetais silvestres e a caça de animais silvestres para seu sustento.

O termo também é usado às vezes como “caçador-coletor-pescador” ou “caçador-coletor-armazenador”.2

As origens do estilo de vida caçador-coletor

As origens do estilo de vida caçador-coletor remontam ao período Paleolítico, também conhecido como Idade da Pedra Velha. Durante esse vasto período de tempo, abrangendo milhões de anos, as primeiras espécies humanas começaram a evoluir de herbívoros para incorporar proteína animal em suas dietas. A utilização de ferramentas, como pedras afiadas e implementos de osso, permitiu melhorar as técnicas de caça e abate, aumentando a capacidade de explorar os recursos animais de forma eficiente.

Estilo de vida caçador-coletor na Caverna de Altamira (Espanha)
Acredita-se que a cena de caça na Caverna de Altamira tenha pelo menos 14.000 anos.
Foto: UNESCO ©️CC BY-SA 3.0 IGO
O arqueólogo americano Lewis Roberts Binford argumentou que os primeiros humanos obtinham sua comida por meio da coleta, em vez da caça.3

No período Paleolítico, os humanos eram nômades por natureza, seguindo rebanhos de animais e se deslocando para áreas abundantes em plantas comestíveis. Esse comportamento nômade foi crucial para sua sobrevivência, pois permitiu que evitassem o esgotamento dos recursos locais e se adaptassem às mudanças nas condições ambientais. A mobilidade foi facilitada por pertences leves e portáteis, permitindo uma rápida relocação e minimizando seu impacto ecológico em qualquer região específica.

O período Mesolítico, muitas vezes referido como a Idade da Pedra Média, testemunhou novos avanços no estilo de vida dos caçadores-coletores. Os humanos desenvolveram ferramentas mais sofisticadas, como micrólitos, que eram pequenas lascas de pedra usadas como pontas de flechas e lâminas. Essas ferramentas aumentaram muito sua capacidade de caça, contribuindo para aumentar a eficiência e as taxas de sucesso na aquisição de recursos alimentares.

À medida que o período mesolítico avançava, as comunidades de caçadores-coletores começaram a explorar uma ampla gama de ambientes, incluindo regiões costeiras e vales fluviais. As áreas costeiras ofereciam uma abundância de recursos marinhos, como peixes, mariscos e aves marinhas, enquanto os vales dos rios ofereciam oportunidades para pesca em água doce e coleta de plantas silvestres. Essa expansão em diversos ecossistemas permitiu que os caçadores-coletores diversificassem sua dieta e explorassem os recursos específicos que cada ambiente oferecia.

Mapa de caçadores-coletores em 2000 aC
As regiões amarelas no mapa representam os territórios habitados por comunidades de caçadores-coletores por volta de 2000 aC. (Clique na imagem para ver o mapa em tamanho real.)
Foto: Wikimedia

Com o início do período neolítico, ocorreu uma mudança significativa quando algumas comunidades humanas passaram do estilo de vida caçador-coletor para as primeiras práticas agrícolas. Essa mudança marcou o início da revolução agrícola, levando ao desenvolvimento de comunidades agrícolas sedentárias. No entanto, é importante notar que as sociedades caçadoras-coletoras continuaram a persistir ao longo do Neolítico e até nas Idades do Bronze e do Ferro subsequentes.

Características das sociedades de caçadores-coletores

As sociedades de caçadores-coletores nos tempos pré-históricos exibiam várias características distintivas.

Igualitarismo: As sociedades caçadoras-coletoras muitas vezes careciam de hierarquias sociais rígidas e exibiam uma distribuição relativamente igualitária de recursos e poder. As decisões eram tomadas coletivamente e os papéis de liderança eram frequentemente temporários e baseados nas habilidades e conhecimentos individuais.4

Comunidades de pequena escala: Grupos de caçadores-coletores tendem a ser pequenos em tamanho, consistindo em unidades familiares extensas ou bandos de indivíduos intimamente relacionados. Essa estrutura social facilitou a cooperação e o compartilhamento de recursos dentro do grupo.

Ampla base de subsistência: Os caçadores-coletores dependiam de uma ampla gama de fontes de alimentos, incluindo a caça de mamíferos, a pesca, a coleta de plantas silvestres e até mesmo o consumo de insetos. Esta abordagem diversificada à subsistência reduziu o risco de escassez de alimentos e aumentou a resiliência às flutuações ambientais.

Fontes de alimentosExemplos
AnimaisVeados, bisões, coelhos, pássaros, peixes
PlantasFrutas, nozes, sementes, raízes, tubérculos
Frutos do marMexilhões, amêijoas, ostras
OutrosMel silvestre, cogumelos silvestres

Tradições orais e transmissão de conhecimento: Devido à ausência de um sistema de escrita, as sociedades de caçadores-coletores dependiam fortemente das tradições orais para transmitir conhecimento através das gerações. Isso incluía conhecimento sobre técnicas de caça, identificação de plantas e navegação em seu ambiente.

Práticas culturais flexíveis e adaptativas: Os caçadores-coletores desenvolveram um conjunto flexível de práticas culturais que lhes permitiram se adaptar às mudanças nas condições ambientais. Eles possuíam uma compreensão íntima de seus arredores e empregavam uma abordagem de tentativa e erro para descobrir estratégias eficazes de sobrevivência.

Posses materiais limitadas: Os caçadores-coletores mantinham um nível relativamente baixo de posses materiais, pois seu estilo de vida nômade exigia portabilidade. Ferramentas e recursos foram cuidadosamente selecionados e utilizados de forma eficiente, garantindo o mínimo de sobrecarga durante o movimento.

Mobilidade: Os caçadores-coletores eram tipicamente nômades ou semi-nômades, movendo-se em resposta às mudanças sazonais e à disponibilidade de recursos.5

Por que caçadores-coletores eram nômades?
Os caçadores-coletores adotaram um estilo de vida nômade por vários motivos. Em primeiro lugar, a sua mobilidade permitiu-lhes localizar e explorar recursos sazonalmente abundantes. Movendo-se para áreas diferentes, eles poderiam acessar novos campos de caça e colher frutas maduras, nozes e tubérculos à medida que estivessem disponíveis. Em segundo lugar, a disponibilidade de fontes de água desempenhou um papel significativo em seus padrões nômades. A água atraiu animais de caça e diversas plantas, tornando essas áreas locais privilegiados para assentamentos temporários. Em terceiro lugar, fatores ambientais, como a mudança climática, influenciaram a natureza nômade dos caçadores-coletores. Eles se adaptariam e se mudariam para áreas com condições mais favoráveis à medida que as temperaturas flutuassem e os ecossistemas mudassem.

Técnicas e ferramentas de caça na pré-história

Nas sociedades pré-históricas, a caça desempenhava um papel crucial na sobrevivência e sustento dos grupos de caçadores-coletores. O sucesso da caça dependia fortemente das técnicas e ferramentas empregadas por esses primeiros humanos. O principal objetivo da caça era garantir os recursos alimentares e garantir a sobrevivência da comunidade. Os caçadores-coletores pré-históricos utilizaram uma variedade de estratégias e ferramentas, adaptando-se a diferentes ambientes e espécies de presas.

Estilo de vida caçador-coletor (machados de mão)
Machados de mão (Paleolítico Inferior)
Foto: Didier Descouens (Wikimedia)
Coleção: Muséum de Toulouse ©️CC BY-SA 4.0

Uma técnica de caça comum usada pelas sociedades pré-históricas era a caça de persistência. Isso envolvia perseguir a presa por longas distâncias até que o animal ficasse exausto e pudesse ser facilmente capturado. A caça de persistência exigia grande resistência física e habilidades de rastreamento. Outra técnica empregada pelos caçadores-coletores era a caça de emboscada. Isso envolvia se esconder ou se camuflar para surpreender a presa e matar com sucesso.6

As ferramentas usadas para a caça variavam dependendo do período de tempo e da região geográfica. Nos primeiros tempos pré-históricos, os caçadores usavam principalmente ferramentas manuais simples, como lanças, dardos e bastões de arremesso. Essas ferramentas eram feitas de materiais como madeira, osso ou pedra e eram eficazes para ataques a curta distância. À medida que as sociedades pré-históricas avançavam, elas começaram a desenvolver ferramentas mais sofisticadas, como o atlatl (arremessador de lança) e o arco e flecha. Essas inovações permitiram maior precisão e alcance, permitindo que os caçadores derrubassem as presas de uma distância mais segura.

O uso de ferramentas de caça não se limitava apenas às armas. Caçadores-coletores pré-históricos também utilizavam armadilhas para capturar animais menores. Armadilhas, por exemplo, foram cavadas no solo e escondidas com galhos ou folhas. Uma vez que um animal caísse na cova, seria mais fácil matá-lo e recuperá-lo. Outro método comum de captura envolvia a construção de redes ou cercas para emaranhar ou encurralar os animais, tornando-os mais fáceis de capturar.

Ferramenta/ArmaDescrição
FuradorUsado para fazer furos em couro, madeira ou outros materiais
MachadoUsado para cortar madeira e abater animais
Faca de pedraUsado para abater animais e plantas
LançaUsado para matar grandes animais
Arco e flechaUsado para caça e defesa
Rede de pescaUsado para pescar
Vara de cavarUsado para cavar raízes e tubérculos
CestaUsado para coletar e transportar alimentos
PedraUsado para iniciar incêndios
Agulha de ossoUsado para costurar roupas e redes
ArpãoUsado para a caça de grandes animais aquáticos
Lança de peixeUsado para pesca
EstilingueUsado para lançar pequenas pedras ou projéteis

Padrões de abrigo e assentamento de caçadores-coletores

Grupos de caçadores-coletores em tempos pré-históricos eram nômades, movendo-se constantemente em busca de recursos alimentares e ambientes adequados. Como tal, seus padrões de abrigo e assentamento foram adaptados a esse estilo de vida móvel. Os abrigos de caçadores-coletores pré-históricos eram frequentemente temporários e projetados para montagem e desmontagem rápidas.7

Estilo de vida caçador-coletor (abrigos)
Abrigos paleolíticos

Um tipo comum de abrigo usado por caçadores-coletores era o acampamento temporário. Esses acampamentos geralmente ficavam perto de fontes de água e forneciam uma base temporária para caça, coleta e outras atividades. Os caçadores-coletores pré-históricos construíam estruturas simples usando materiais naturais, como galhos, folhas e peles de animais.

Em alguns casos, caçadores-coletores pré-históricos utilizaram cavernas ou abrigos de rocha como abrigos temporários. Estas formações naturais proporcionaram uma melhor proteção contra as condições atmosféricas e potenciais predadores. Cavernas e abrigos rochosos também serviam como espaços de encontro comunitário e ofereciam um certo grau de segurança, especialmente durante o mau tempo ou encontros hostis.

Rituais, crenças e práticas espirituais de caçadores-coletores

As sociedades de caçadores-coletores nos tempos pré-históricos exibiam práticas e crenças espirituais ricas e diversas. Essas crenças estavam intimamente entrelaçadas com sua compreensão do mundo natural e seu papel dentro dele. Rituais e cerimônias desempenharam um papel significativo no estabelecimento da coesão social, na manutenção das tradições culturais e na busca de proteção contra o desconhecido.

O animismo era um sistema de crença comum entre os caçadores-coletores pré-históricos. Eles atribuíam espíritos ou forças sobrenaturais a elementos do mundo natural, como animais, plantas, rochas e corpos celestes. Acreditava-se que esses espíritos possuíam sua própria consciência, influenciando vidas humanas e o ambiente circundante. Comunidades de caçadores-coletores geralmente se envolvem em rituais e cerimônias para se comunicar com esses espíritos e buscar seu favor ou orientação.

O xamanismo também desempenhou um papel crucial nas práticas espirituais dos caçadores-coletores pré-históricos. Os xamãs, muitas vezes considerados líderes espirituais ou intermediários entre os reinos humano e espiritual, exerciam uma influência significativa em suas comunidades. Acreditava-se que eles possuíam habilidades sobrenaturais para curar os enfermos, comunicar-se com espíritos e fornecer orientação. Os rituais xamânicos envolviam várias práticas, como técnicas de indução de transe, cantos, percussão e uso de substâncias alucinógenas.8

Religiões primordiais: origens, características e tradições

Expressões artísticas, como pinturas rupestres, arte rupestre e esculturas, eram outro aspecto importante das práticas espirituais dos caçadores-coletores pré-históricos. Essas criações artísticas geralmente retratavam cenas da vida cotidiana, animais e seres míticos ou espirituais. Eles serviram como meio de comunicação, expressão espiritual e narrativa dentro da comunidade.

A origem da arte e os primeiros exemplos de arte paleolítica

  1. Prehistoric Hunter-Gatherer Societies“, Emma GROENEVELD, World History Encyclopedia, December 9, 2016^
  2. “Et l’Évolution créa la femme Broché”, Pascal PICQ, Éditeur: Odile JACOB, ISBN-13: 978-2738152138, 2020^
  3. Human ancestors: Changing views of their behavior“, Lewis R. BINFORD, Journal of Anthropological Archaeology, Volume 4, Issue 4, December 1985^
  4. Nomadic Peoples and Human Rights”, Jérémie GILBERT, Taylor & Francis, ISBN-13: 978-1136020247, 2014^
  5. “Ancient Civilizations of the World”, Denny ROSE & Rowan ALLEN, EDTECH, ISBN-13: 978-1839472756, 2018^
  6. “The Earliest Europeans – A Year…Survival Strategies in the Lower Palaeolithic”, Robert HOSFIELD, Oxbow Books, ISBN-13: 978-1785707643, 2020^
  7. “Archaeology: An Introduction”, Kevin GREENE & Tom MOORE, Taylor & Francis, ISBN-13: 978-1136860294, 2010^
  8. “The Anthropology of Hunter-Gatherers: Key Themes for Archaeologists”, Vicki CUMMINGS, Taylor & Francis, ISBN-13: 978-1000189537, 2020^
Subscribe
Notify of
guest
0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments