Börü: O simbolismo do lobo na mitologia turca

Börü: O simbolismo do lobo na mitologia turca

O lobo, conhecido como “börü” em turco antigo, assume um papel central e cativante na mitologia turca. Embutido profundamente na consciência coletiva dos povos turcos, o lobo permanece como um emblema de medo e admiração, incorporando uma dualidade complexa que entrelaça sua ferocidade com suas qualidades reverenciadas. Como um símbolo do espírito indomável, o lobo serve como um nexo para entender a reverência profundamente enraizada pela natureza e a conexão transcendental entre os humanos e o selvagem nos mitos turcos.

O contexto geográfico e cultural da mitologia turca

Os povos turcos, cujas origens históricas remontam ao coração da estepe eurasiana, cultivaram uma paisagem cultural multifacetada que engloba uma síntese de elementos animistas, xamânicos e mitológicos. A emergência e o desenvolvimento desses sistemas de crenças foram profundamente influenciados pelo contexto geográfico em que se espalharam.

Abrangendo uma vasta região desde as estepes da Europa Oriental até as majestosas Montanhas Altai, o modo de vida nômade e transumante dos povos turcos estava inextricavelmente entrelaçado com o mundo natural. A diversidade geográfica de seus arredores, caracterizada por extensões infinitas de planícies cobertas de grama, cordilheiras escarpadas, tundra e florestas densas, influenciou profundamente sua conexão espiritual com o reino animal. Ao percorrerem essas vastas paisagens, seus encontros com diversas faunas e floras sem dúvida deixaram uma marca indelével em suas percepções mitológicas e cosmológicas.

A vastidão de seus territórios e o estilo de vida nômade exigiram uma profunda apreciação e reverência pela natureza, que, por sua vez, encontrou expressão em seus mitos e lendas. Nos sistemas de crenças turcos, as fronteiras entre os reinos humano e animal se confundem, levando a representações antropomórficas de animais, incluindo o lobo, como incorporando qualidades humanas e envolvendo-se em interações complexas com humanos. A fusão das características humanas e animais simboliza a interconexão de todos os seres vivos dentro da ordem natural e serve para forjar uma conexão mais profunda entre o povo turco e os animais que habitam seu mundo.

Börü: O simbolismo do lobo na mitologia turca
Em turco antigo, a palavra “börü” significava “lobo”. O povo turco tinha admiração e profundo medo pelos lobos. Como resultado, ao se referirem aos lobos para evitar chamá-los, eles escolheram palavras diferentes em vez de usar seus nomes reais, um fenômeno linguístico conhecido como eufemismo. Os turcos Oghuz, em particular, optaram pela palavra “kurt”, que era o nome de um verme de fruta, em vez de “börü”. Com o tempo, a palavra “kurt” gradualmente substituiu “börü” em seu vocabulário.1

Como essas crenças e costumes foram transmitidos por sucessivas gerações através da tradição oral, a mitologia turca passou por um processo gradual de acréscimo, resultando na aquisição de camadas de profundidade e complexidade. Ao longo do tempo, uma confluência de influências históricas, culturais e linguísticas contribuiu significativamente para a evolução dinâmica e diversificação da mitologia turca em regiões distintas, dando origem a um rico mosaico de variações locais e interpretações diferenciadas.

A proximidade dos povos turcos com outras civilizações proeminentes, como os persas, chineses, eslavos, mongóis e fino-úgricos, facilitou um intercâmbio dinâmico de ideias culturais e religiosas. Consequentemente, elementos de sistemas de crenças vizinhos encontraram seu caminho para a mitologia turca, enriquecendo ainda mais sua narrativa.

Apesar da absorção de influências externas, os povos turcos preservaram habilmente sua identidade cultural única e temas mitológicos centrais.

O lobo nos sistemas de crenças turcos: simbolismo e significado

Ao longo da mitologia turca, a natureza assume um estatuto de veneração e personificação, onde os animais e os corpos celestes surgem como potentes símbolos representando as forças naturais e os elementos cósmicos. O lobo, em particular, ocupa um papel central como um predador de ponta e um exemplo supremo de sobrevivência nas formidáveis paisagens da Eurásia. Dentro da estrutura mitológica, o lobo incorpora uma miríade de significados simbólicos que refletem intrincadamente a relação multifacetada entre o povo turco e seu ambiente. Este retrato simbólico do lobo ressalta sua importância como uma criatura emblemática que ressoa profundamente nas dimensões cosmológicas e espirituais da cultura turca.

Como um predador de ponta, o lobo incorpora uma confluência de características, encapsulando força, astúcia e adaptabilidade, evocando assim medo e admiração entre as comunidades turcas. A mitologia turca, com sua propensão ao antropomorfismo, muitas vezes retrata o lobo como uma manifestação de um amálgama único de traços humanos e animais, conferindo a ele a persona de um símbolo indomável de instintos primitivos e forças naturais.

Börü: O simbolismo do lobo na mitologia turca
A capacidade incomparável do lobo de suportar os desafios dos terrenos da Eurásia confere a ele um papel simbólico significativo na mitologia turca, representando força e perseverança.

É digno de nota que a representação do lobo na mitologia turca permanece visivelmente desprovida de adjetivos subjetivos, evitando qualquer inclinação para atribuir valores morais inerentes de bondade ou maldade a essa criatura reverenciada. Em vez disso, o lobo surge como um símbolo de poder bruto e natureza selvagem, incorporando o intrincado equilíbrio do mundo natural percebido pelas lentes pragmáticas dos povos turcos. Nesta visão de mundo, a coexistência harmoniosa de predadores e presas assume um significado primordial, pois ambos desempenham papéis indispensáveis na manutenção do equilíbrio ecológico sobre o qual articula o próprio fundamento da existência.

A neutralidade e a objetividade embutidas na caracterização do lobo na mitologia turca refletem a profunda conexão entre o povo turco e seu ambiente, transcendendo dicotomias simplistas centradas no ser humano. O lobo surge como uma entidade enigmática e inspiradora, incorporando a essência primordial da dinâmica da natureza. Essa representação integral do lobo ressoa como um lembrete poderoso dos destinos entrelaçados que entrelaçam os humanos com o vasto mundo natural, uma interação cósmica que moldou a consciência coletiva das comunidades turcas por gerações. Nesse retrato, a imagem do lobo, desprovida de julgamentos subjetivos, encontra seu lugar como símbolo da interação dos ciclos da vida e dos vínculos inextricáveis entre o ser humano e a ordem natural.

Lobos em lendas turcas e folclore

O folclore turco está repleto de contos que apresentam os lobos como personagens centrais, mostrando sua presença penetrante no imaginário coletivo dos povos turcos. Essas histórias geralmente retratam os lobos como adversários formidáveis e aliados leais, refletindo a dualidade de seu simbolismo.

Um tema predominante no folclore turco é a representação dos lobos como criaturas sábias e astutas. Abundam as lendas de lobos superando os humanos ou outros animais para atingir seus objetivos. Essas histórias servem como contos de advertência, lembrando os ouvintes dos perigos de subestimar a inteligência da natureza.

Por outro lado, os lobos também são descritos como protetores e guias no folclore turco. Em alguns mitos, eles auxiliam indivíduos perdidos ou benevolentes, conduzindo-os à segurança ou revelando verdades ocultas. Este retrato destaca o respeito que o povo turco tinha por essas criaturas, reconhecendo seu papel essencial na ordem natural.

O mito de Asena: A loba materna na mitologia turca

Asena é o nome de uma loba na mitologia turca. Segundo a lenda, um dia Asena encontra uma criança que sobreviveu a uma batalha e a alimenta. À medida que a criança cresce, ele engravida a loba e ela dá à luz 10 filhos do sexo masculino.

A tribo conhecida como “Aşina” em turco, que fundou o Primeiro Khaganato Turco, traça sua ancestralidade até essas 10 crianças nascidas de Asena.2

Asena é referido como Bozkurt (lobo cinzento) em alguns contos.

A lenda de Oğuz Kağan

Oğuz Kağan, também conhecido como Oghuz Khagan ou Oguz Khan, é o nome de um imperador semi-lendário na literatura e mitologia turca.

Segundo a lenda, um dia, enquanto Oğuz Kağan dormia, sua tenda se encheu de uma luz forte. De dentro da luz surgiu um lobo azul, que se aproximou dele e o guiou por um caminho. Guiados pelo lobo azul, também conhecido como “gök börü”, Oğuz Kağan e seu exército alcançaram uma vitória significativa sobre seu inimigo, Urum Khan, e anexaram suas terras aos seus próprios territórios. Posteriormente, Oğuz Kağan continuou a experimentar triunfos seguindo a orientação do lobo azul ao longo de sua vida, levando seu povo à prosperidade.3

O épico de Ergenekon

De acordo com a narrativa lendária, a antiga população turca se viu enredada no vale de Ergenekon, cercada por altas montanhas após sua fuga das forças adversárias. Posteriormente, por um período de quase quatro séculos, os turcos permaneceram confinados neste vale até que sua libertação foi realizada por meio da intervenção de um ferreiro habilidoso que derreteu a montanha. Comemorando este evento significativo, anualmente em 21 de março, a população acendia fogueiras e forjava ferros em brasa, marcando simultaneamente esta data como o início do novo ano.

Alguns relatos históricos também afirmam que os turcos receberam orientação pós-derretimento de uma loba chamada Börteçine.

O mito da criação dos uigures: o lobo paterno na mitologia turca

Na antiguidade, havia um governante cuja beleza etérea das filhas capturava a imaginação de todos que as viam. Estava firmemente enraizado nas crenças do reino que essas donzelas encantadoras estavam destinadas a se unirem a Deus, significando uma conexão divina que transcendia os limites mortais. Para garantir seu destino sagrado, o governante recorreu a uma medida extraordinária, confinando suas filhas dentro de uma elevada torre aninhada nos confins desolados das terras do norte.

Sem se deixar abater pela passagem do tempo, o governante persistiu com devoção inabalável, implorando ardentemente a Deus que concedesse suas bênçãos a suas filhas, permitindo-lhes abraçar suas uniões celestiais. Então, como que em resposta às suas sinceras orações, uma intervenção divina tomou forma, pois Deus se materializou na forma de um magnífico lobo. A união mística de Deus e uma, ou talvez todas, as filhas do governante se concretizaram, e elas geraram numerosos descendentes, tornando-se os progenitores anunciados da linhagem uigur.4

O papel do lobo no xamanismo turco

O xamanismo ocupa uma posição fundamental na espiritualidade turca, servindo como intermediário entre os mundos humano e espiritual. Dentro desse sistema de crenças, os lobos assumem um papel proeminente, sendo percebidos como potentes entidades espirituais capazes de auxiliar e desafiar os xamãs em suas buscas místicas.

As práticas xamânicas turcas geralmente associam os lobos à transformação e mudança de forma. Durante os rituais, os xamãs podem se esforçar para incorporar as características do lobo, buscando obter insights, força ou orientação. A habilidade do lobo de atravessar vários reinos torna-se emblemática da profunda conexão do xamã com o mundo espiritual e a sabedoria que eles podem obter de tais interações.

Além disso, os lobos às vezes são considerados guias espirituais, auxiliando os xamãs durante suas jornadas visionárias. Os atributos inerentes do lobo de resiliência e adaptabilidade são percebidos como qualidades inestimáveis para os xamãs que navegam pelas complexidades dos reinos espirituais.

Totem do veado e espírito animal no xamanismo

  1. “Makaleler ve İncelemeler – Cilt I-II”, Abdülkadir İNAN, Türk Tarih Kurumu, Ankara, ISBN : 978-975-16-0333-3^
  2. “The Turks in World History”, Carter Vaughn FINDLEY, Oxford University Press, 2004, ISBN-13: 978-0195177268, ASIN: 0195177266^
  3. Oğuz Kağan Destanı (Turkish)”, Wikisource, tr.wikisource.org^
  4. “Manas Destanı (W. Radloff) ve Kırgız kültürü ile ilgili tespit ve tahliller”, Naciye YILDIZ, Türk Dil Kurumu, 1995^
Subscribe
Notify of
guest
0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments