Arquitetura suméria: casas, muralhas, templos e palácios

Arquitetura suméria: casas, muralhas, templos e palácios

“A história começa na Suméria.” disse Samuel Noah Kramer, um assiriologista especializado em história suméria. Os sumérios, que surgiram no cenário histórico no período Calcolítico Superior, também são conhecidos como a civilização que desenvolveu a escrita cuneiforme. Portanto, o início das eras históricas está associado aos sumérios. Esta antiga civilização, que se enraizou nas planícies férteis da Mesopotâmia, não só sistematizou a comunicação escrita, mas também influenciou os estados subsequentes em muitas áreas, como agricultura, comércio, mitologia, cultura e arte. Em particular, a arquitetura suméria, que acrescentou uma estética e funcionalidade únicas à geografia mesopotâmica, tornou-se fonte de inspiração para os acadianos, elamitas, assírios e babilônios que dominaram a região nos anos seguintes.

Qual foi o material básico de construção sumério

Os sumérios, uma das civilizações mais antigas da história da humanidade, estabeleceram as primeiras cidades-estado conhecidas através da construção de templos, palácios, casas e muralhas.

Então, como eles conseguiram isso há 5.000 anos? Que tipo de materiais eles usaram para construir essas estruturas impressionantes?
0
O que você acha disso?x

Os sumérios viviam na região sul da Mesopotâmia, principalmente dentro das fronteiras do atual Iraque. Embora esta região fosse rica em água e solo fértil, carecia de recursos naturais como pedra, madeira e metal. Confrontados com opções extremamente limitadas de materiais de construção, os sumérios tiveram de se contentar com recursos naturais como lama, junco e argila nos seus projectos de construção.

No sul da Mesopotâmia, o material mais abundante e versátil era a argila. Os sumérios utilizavam argila para fazer tijolos e telhas, bem como cerâmica e esculturas. A argila misturada com água e palha era transformada em tijolos de barro, secando-os ao sol ou queimando-os em fornos. Por serem baratos, fáceis de produzir e duráveis, os tijolos de barro eram os principais blocos de construção da arquitetura suméria.

Como fazer tijolo de lama?
O primeiro passo é a seleção do solo. Geralmente, solo com alto teor de argila é preferido para este processo. Depois que o solo é purificado de rochas e materiais estranhos semelhantes, água é adicionada para obter uma consistência trabalhável. Depois de polvilhar um pouco de palha, a mistura é pisada e esmagada com os pés até virar lama. Depois que a lama se torna homogênea, ela é despejada em moldes de madeira em forma de tijolo e bem compactada. Por fim, depois de retirados os tijolos das formas, eles são deixados para secar ao sol ou em local bem ventilado. Durante este processo, a água dentro dos tijolos evapora e os tijolos ficam completamente endurecidos. Nesta última fase, os tijolos podem por vezes ser endurecidos mais rapidamente através da condução em forno.

Outro material de construção comumente usado na arquitetura suméria eram os juncos. Os juncos, que cresciam ao longo das margens dos rios e pântanos, eram recolhidos e transformados em esteiras, cestos, cordas e cercas. Por serem flexíveis e fortes, os juncos eram geralmente utilizados na construção de colunas, arcos e cúpulas.

Tipos básicos de construção na arquitetura suméria

Apesar de serem limitados em recursos de pedra, madeira e metal, os sumérios construíram uma grande variedade de estruturas usando tijolos de barro. No entanto, a maioria destas estruturas não sobreviveu até aos dias de hoje.

As estruturas proeminentes da arquitetura suméria podem ser resumidas como casas, que eram os elementos primários das necessidades de abrigo, altas muralhas que cercavam as cidades, templos contendo pistas importantes relacionadas às crenças religiosas e magníficos palácios onde os reis conduziam suas vidas.

Casas

Na arquitetura suméria, as casas eram normalmente construídas com planta retangular ou quadrada e telhados planos. O principal material de construção da maioria das casas eram os tijolos de barro. As casas geralmente são projetadas para atender às necessidades de famílias numerosas.

Nas casas sumérias, os quartos eram geralmente dispostos em torno de um pátio localizado na entrada da casa. Os pátios tinham o duplo propósito de iluminar os quartos e servir como espaços onde os familiares se reuniam, talvez desfrutando de jantares juntos ao ar livre.

O layout das casas foi pensado para acomodar a vida familiar e as rotinas diárias da sociedade suméria. O planejamento prático e funcional formou a base da arquitetura suméria quando se tratava de espaços residenciais.

Muralhas da cidade

Na arquitetura suméria, as muralhas das cidades são estruturas construídas para proteger as cidades sumérias na antiga Mesopotâmia contra várias ameaças. As muralhas da cidade, que apresentam um aspecto impressionante em altura e espessura, visavam manter os moradores da cidade seguros no seu interior com estas características. Além disso, desempenhavam funções como definir os limites da cidade e controlar os pontos de entrada. Desta forma, foi fornecida proteção eficaz contra potenciais ameaças externas.

As muralhas da cidade eram frequentemente reforçadas com torres de vigia e portões. Torres de vigia foram usadas para monitorar a área circundante e detectar ameaças potenciais antecipadamente. Portões estrategicamente posicionados, entradas e saídas controladas.

Templos

As estruturas mais sagradas da arquitetura suméria eram os templos, geralmente localizados no centro das cidades ou no topo de estruturas piramidais chamadas zigurates. Estes templos, dedicados aos deuses e deusas da mitologia suméria, eram também centros educativos e culturais onde sacerdotes e alguns artesãos desempenhavam as suas funções e atividades.

Os primeiros templos, datados do IV milénio a.C., eram estruturas rectangulares simples, de planta tripartida, constituídas por um longo santuário central rodeado por duas salas mais pequenas. No santuário, normalmente haveria um altar e uma mesa de oferendas. As salas continham várias bases para estátuas votivas e outros objetos.

O exemplo mais conhecido deste tipo de templo é o Templo Branco em Uruk. Dedicado ao deus sumério do céu, Anu, e pensado para ter sido construído no final do quarto milênio a.C., o Templo Branco recebeu o nome do gesso branco que cobre suas paredes.1

O possível aparecimento do Templo Branco.
O possível aparecimento do Templo Branco.

Durante o período dinástico inicial (cerca de 2.900 aC – 2.350 aC), os templos evoluíram para estruturas mais complexas e detalhadas. Alguns templos aderiram ao clássico plano triplo sumério, mas o complexo arquitetônico foi enriquecido com a adição de mais salas, pátios e edifícios adicionais. Outros se desviaram do modelo clássico e adotaram planos em formato de T, L e E. Além disso, durante este período, o tamanho e a altura dos templos aumentaram.

Ruínas do Zigurate de Ur, uma das obras-primas da arquitetura suméria. (Início da Idade do Bronze)
Ruínas do Zigurate de Ur, uma das obras-primas da arquitetura suméria. (Início da Idade do Bronze)

Palácios

Assim como os deuses tinham os seus templos, os reis tinham que ter as suas próprias residências. Os palácios eram locais onde os reis sumérios viviam suas vidas privadas e realizavam a administração estatal. Eles estavam frequentemente localizados em torno de templos ou nos centros das cidades, refletindo suas relações tanto com os deuses quanto com o povo.

Os primeiros palácios do início do período dinástico eram estruturas modestas e simples, semelhantes em planta e forma aos templos. Eles consistiam em uma série de salas retangulares e pátios dispostos em torno de um salão central e de uma sala do trono. Os quartos foram divididos em diversas unidades como áreas de convivência, armazéns, oficinas e cozinhas.

Durante a Terceira Dinastia de Ur, também conhecida como Império Neo-Sumério, os palácios sumérios evoluíram para estruturas mais complexas e elaboradas. Esta era, aproximadamente entre 2.112 aC e 2.004 aC, foi um período de renascimento político e econômico da cidade de Ur. Portanto, os palácios deixaram de ser estruturas modestas e transformaram-se em estruturas majestosas, magníficas e prestigiosas, refletindo a evolução da arquitetura suméria. De facto, em alguns complexos palacianos, a tradicional forma rectangular foi abandonada e foram adoptados planos circulares, ovais ou poligonais.

No século 21 aC, a arte e a literatura suméria atingiram seu auge em Ur.2

Patrimônio arquitetônico dos sumérios

Um dos vestígios mais significativos da arquitetura suméria é a antiga cidade de Ur, localizada às margens do rio Tigre, no atual sul do Iraque. Além disso, artefatos importantes foram descobertos através de escavações arqueológicas em outras antigas cidades sumérias, como Eridu, Uruk e Nippur. Os museus da região abrigam numerosos vestígios arqueológicos da civilização suméria. Particularmente, o Museu Nacional do Iraque, na capital, Bagdá, exibe muitos artefatos do período sumério e de outras civilizações mesopotâmicas.

  1. Dr. Senta German, “White Temple and ziggurat, Uruk,” in Smarthistory, August 8, 2015, accessed February 14, 2024[]
  2. Frayne, D. (2008). Presargonic Period: Early Periods, Volume 1. University of Toronto Press. ISBN: 9781442690479[]
Subscribe
Notify of
guest
0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments